Wednesday, December 31, 2008

ZOO-9

Em 2009 termina um período ZOO (200). Z=2, 0=O.
Espero que neste 2009 (ZOO-9) consgimos proteger muitas espécies de animais, sem esquecer de preservar flora através de manter e aumentar espaços naturais.
Desejo um 2009 cheio de felicidade, do jeito que cada um deseja para si, nem mais, nem menos, na medida.
Espero que as medidas sejam modestas, senão o planeta pode não aguentar.
 
Um "quebra-costela".

Tuesday, December 30, 2008

Último dia útil de 2008

Amanhã será inútil.
 

Monday, December 29, 2008

Momento Escatológico

Tanta lista de 5 mais, 10 mais, nunca mais,... do dia, mês, ano, década, século, milênio,...
Melhor livro, disco, música,... Tá na hora de alguem apontar o Top 5 do Ânus. As melhores excretadas da vida, da semana, do dia,... opss. saiu!
 

Sunday, December 28, 2008

A Faxina

Sábado e domingo destinados a faxinar três armários de quinquilharias. Fizemos, ao longo destes nove anos de residências, três armários externos.
Um deles virou interno quando a casa avançou uma sacada-que-não-era-sacada (moramos no térreo e temos um terraço, logo a sacada é uma parte coberta pela sacada do apto. de cima).
Os armários tinham destino nobre na concepção, a execução foi um tormento que provou nossa incapacidade de gerenciar uma obra (não foram levantados mais que 10 m2 de paredes). Tudo parecia dar errado e dava errado mesmo. Com tempo aprendemos a conviver com portas capengas,
Quando um deles virou armário interno, estava cheio de porcarias. Nenhum servia para o que tinha sido concebido/construído. No final eram terra de ning... todos, tudo ia para ali ou lá e mudavam de lugar ao bel prazer.
Bueno, ontem esvaziamos todos eles para forçar uma reorganização. Quanta coisa inútil para nós e útil para outros encontramos.
Sacolas foram cheias, caixas de papéis surgiam alucinadamente e eram levadas para os papeleiros que sempre passam.
Amanhã brinquedos, cadeiras de praia (boas) e outras coisas irão para o CACC (Casa de Apoio a Criança com Câncer), instituição que ajudamos quando pudemos.
No começo do mês muita coisa foi para Santa Catarina, agora a ajuda será local.
O armário interno ganhou um dono: Gabriel e seus brinquedos. Estamos juntando eles, arrumando os despedaçados, juntando os parecidos, retirando mais alguns de usos, pois ele ganhou novos e há uma regra, brinquedo que entra, brinquedo que sai (lógico que a regra não é tomada a ponta de faca, pois alguns ficam para a história).
Legos são a perdição do piá, mas ele brinca, brinca e brinca e inventa muita coisa. Ora bolas... estas são capítulo a parte.
A faxina está na metade, tudo que saiu voltou, nota-se espaço disponível e este não pode ser uma chamado a preenchimento.
Assim que a faxina acabar o grande projeto será A Ilha.
Para quem já ouviu falar em Gormitis sabe que os bonequinhos "pedem" uma ilha que custa uns 200 pilas. Pois um orçamento exagerado de R$ 10,00 permitirá que façamos uma ilha de papelão, com grutas, pontes, lagos de mercúrio, de lava, vulcões ativos, mares azuis ao redor (papéis de presente NÃO jogados fora) entre outras frescuras.
Parte das idéias veio do programa Art Attack, mas nós iremos melhorar. Uma idéia que surgiu foi A Ilha poder se dividir. Aguardem

Friday, December 26, 2008

Ora bolas! Acerolas! II (a continuação)

O tal pé de acerola anda me judiando. Cada vinda à casa de minha mãe são mais potes de acerolas.
Desenvolvi novo método de extração: coqueteleira.
Pego um punhado de frutas congeladas, outro de frutas frescas e coloca numa coqueteleira.
Bato, bato e bato, escorro. Mais água e gelo e bato, bato e bato. Escorro.
Depois de umas quatro chacoalhadas tenho um suco gelado e "concentrado" (diluido pela água e gelo). As sementes que sobram tenho jogado num canteiro, cubrod e terra do minhocário. Jãs são centenas de sementes enterradas, espero que algua vingue. Ali largo as frutas caidas do pé.
A coqueteleira economiza enregia elétrica e água para limpeza do "kid-kidificador". Sem falar que nao tritura as sementes dando gosto de tanino ao suco "kid-kidificado".
Suco de acerola é meu suco de verão. 100% natural.... tá, confesso, coloco açucar refinado no suco.

O Natal

Nosso natal foi bom. O grande presente deste ano, da vida, foi ter minha mãe conosco. Depois do grande susto que tivemos em novembro a presença dela é o grande presente.
Neste ano não ganhamos nenhum presente dela. Ela limitou-se a presentear os netos. "Errou" no presente do Gabriel.
Foi difícil segurar que ele não abrisse um dos presentes, que já foi trocado por outro agora a pouco.
Todos presentes que recebi são úteis e gostei de recebe-los.
A ceia de natal foi ótima, na medida certa e suficiente para um "rescaldo" no dia seguinte.
A nota triste foi na manhã de sexta. Dormimos no local da festa, para não dirigir em função de algum consumo de alcool.
Na manhã seguinte tive que buscar algo esquecido em casa, antes da viagem.
Na volta notei o container de lixo aberto (Santa Maria está com containeres de lixo em quase toda quadras).
Dentro um rapaz selecionava lixo.
Estacionei, entrei na casa de minha cunhada e peguei todo lixo reciclávels que havíamos gerado. Latas e papéis (de presentes).
Peguei um refrigerante que sobrara, um belo pedaço do lombinho recheado com ameixas que Eu fiz (pelo quarto ano seguido repito este cardápio) e entreguei ao rapaz. Ele deve ter uns 20 e poucos anos.
Nossa conversa:
- Daí magrão? Tá procurando umas latinhas?
- Tô.
- Posso te dar algumas e mais uma comida e uma bebida.
- Bah! Tio! Valeu. Um feliz natal.
- Pra todos nós.
Foi o desejo de um natal feliz para mim mais inusitado. De dentro de um container.
Com minha oferta ele saiu do container e guardou tudo. Espero que eu tenha evitado outras entradas pois é perigoso.
Este foi mu natal. Agora, feriadão em curso, resta aproveitar bem os brinquedos recebidos. Sim, todo pai aproveita os brinquedos do filho, é a chance de rejuvenescer.
Já brinquei com todos, mas o bom mesmo é brincar com ele, o Gabriel.
 

Wednesday, December 24, 2008

Um Feliz Natal

Todo ano ouço críticas contra o Natal. Perda do espírito, comercialização da data, insustentabilidade pelo alto consumo de tudo (materiais, energia,...).
Sim, tá tudo errado, mas no sentido que poderia ser certo.
O que é certo? Certo nesta data é que ela une pessoas, famílias e amigos, o que parece errado são os excessos.
Fácil! Basta reduzi-los. Isto não é fácil.
Apesar de tudo gosto do natal, de participar da festa, de dar e receber presentes, isto é bom, demonstra carinho, afeição, compromisso e cuidado.
Este ano combinamos evitar os excessos através dos pequenos presentes. Evitar aquele presentinho pequeno, que logo será esquecido, ... enfim: a porcaria.
Dada só pelo dar. Não participei de nenhum amigo secreto, outro vilão do consumismo inútil.
Este ano nossos presentes serão úteis... até por ali, é lógico.
Amanhã mostrarei um presente que sei que ganharei, afinal "me comprei-me para mim mesmo", mas que meu filho nem sabe que dará para o pai e para a mãe.
Voces verão que é uma bobagem. O presente pretende atingir o filho (presente reverso de sempre, ele nos dá mas é ele quem aproveita... ganhei muitas bolas neste anos de vida do Gabriel).
Tudo pode ser justificado, até o presente inútil. Eu tenho justificado alguns redistribuindo. Entre natal e ano novo faremos uma faxina nos armários, tenho medo do que vou retirar. Terei pena de dar certas coisas, terei tristeza e ver tanto dinheiro e recurso guardado, mas fazer o que? Foi feito, agora é remediar e cuidar sempre para evitar os excessos.
Vivemos um tempo de excessos.


Um Feliz Natal a todos, cada um curtindo seu Natal como desejou.

Sunday, December 21, 2008

Déjà vu

É a sensação que acabo de ter.
O Manchester United, todo de VERMELHO, me lembra da final de 2006 quando o Internacional de Porto Alegre abocanhou o título oficial Mundial da FIFA.


Muita Valentia

Tem um casal que adotou comercialmente a postura ambiental.
Buscam soluções ambientais para o mundo de  sua filha, porem a mãe anda sempre bem produzida, com muitos panos, coloridos, com muitos penduricalhos com metal pesado...
O pai tambem se produz com roupas de moda, cheias de corantes,...
Pois a mãe, numa reportagem, deixa escapar seu consumismo.
Numa visita a um museu do lixo (acho que em Curitiba) deixou escapar que seu sonho de consumo é uma TV de LCD de 50".
Como é fácil criticar os demais e não olhar seu umbigo.
Depois vejo o pai cheio de pranchas de surf (petróleo). Criticam as sacolinhas mas deve ter quilos delas nas pranchas que já comprou.
Nem cito o nome do programa em respeito a menina.

Saturday, December 20, 2008

Regalos

Dia 15 de dezembro comentei lá no FAÇA A SUA PARTE sobre o natal deste ano.
Andamos comentando, na família, o não-presente, evitar presentes inúteis.
Tendo um filho de 8 anos fica difícil fugir de presentear algum brinquedo. Ele irá ganhar os brinquedos que quer.
No começo do mês fizemos uma "limpa" nos brinquedos que ele não brinca mais. Iríamos entregar a instituições de caridade de nossa cidade.
Vendo o drama "ambiental" de Santa Catarina, acabamos enviando pacotes de brinquedos para lá. Junto com roupas e comida.
Estamos organizando presentes coletivos, onde uma "vaquinha" pode possibilitar o presente desejado por alguem.
Enfim, um natal racional, reduzindo, reciclando embalagens, resgatando velhos hábitos, reaproveitando decorações, ...
Um natal de muitos Rs no RS.

Monday, December 15, 2008

ABRACADAVER

No universo Zumbi os mágicos usam o Abracadáver.
Que bobagem.

Sunday, December 07, 2008

EU NÃO SABIA!

Nunca sei.
Desejava, mas não sabia. Aquela frasezinha de final de campeonato, quando MEU time ganha a Sul Americana ou aquele timeco fica em segundo, morrendo na praia: Eu Já Sabia!
Nunca disse, nunca direi.
Acho interessante que este ano meteram o garfo neles. Faz pouco e fomos vices, roubados, e não tivemos solidariedade.
Azar nossa lá atrás, azar deles aqui e agora.
Eu não sabia, mas gostei da semana. Ganhamos UMA, eles perderam outra.

Thursday, December 04, 2008

GO-GOL ou GOL-GO

Admiro, com desconfiança, das pessoas com uma memória esportiva tão intensa.
Comentarista de futebol até entendo, vive disto.
Hoje o São Google ajuda tudo. Basta escrever os times, a data, alguma referência e se tem o video do gol.
GOOGLE! Pois bem que se podia criar o GOL GO ou GO GOL!
Ajudaria muito os pseudo-torcedores!

Wednesday, December 03, 2008

O Nariz da Raia

Vejo de "revesgueio" uma novela onde anda a Cláudia Raia. Pelo que vi ela andou operando o naso.
Afinou, afinou, e nesta novela só vejo o tal nariz avermelhado. Acho que ela deva ser uma viciada em "raias"

Tuesday, December 02, 2008

Uns 300 km

Mais a visão de uns 10.000 leitões, uns 200.000 frangos, uma coloninha de Teutônia mais linda que a Bunchen e uma bóia de beira de estrada digna dos deuses, zeuses, odinses e demais manifestações supremas de idolatria.
Sem esquecer a sobremesa, uma tortinha de chocolate com cereja e creme de baunilha, simples, simples, bom de doer a chapa.
Faltou uma cerveja gelada, meia que fosse.
 


Friday, November 28, 2008

Piadinha

-Chê! O que tua achas deste povo que pratica e gosta de NUDEZ?
- Sem problemas, enquanto for "nu deis" tudo bem. O problema é quando querem meter "nu nossu".

Thursday, November 27, 2008

Greve dos Professores Gaúchos

Yeda cortará o ponto dos professores gaúchos, sem dó nem piedade e demitirá 9% do efetivo.
Ontem a noite foi provado que para dominar um grupo de Estudiantes, não se precisa de uma equipe inteira.
Os mal comportados devem sair e o resto do grupo assume e controla os estudiantes. Especilamente nas lições na casa deles.
 
Hoje em dia lições de segunda andam valorizadas. Quem diria que a segundona teria valor a ponto de provocar videos comemorativos. Logo segundonas americanas, ainda terão seu valor, podem anotar.
 

Wednesday, November 26, 2008

Que Pasada!

Lembrei desta expressão quando vi as primeiras cenas do que anda acontecendo no litoral catarinense.
Vaya! Que pasada!
A cõsa anda feia, E pensar que andam(vam) querendo mudar a legislação ambiental de lá.
Mais "liberdade" para certas atividades. A natureza respondeu contudentemente.
Muito do aconteceu ali é fruto de degradação ambiental, do desrespeito a certos espaços.
 

Monday, November 24, 2008

Troca de Colégio

Avaliar novos colégios/escolas para uma mudança é uma atividade importante.

Escolher o "primeiro" foi fácil, foi levada a proximidade e boas referências como pontos fortes. Agora queremos algo diferente para o Piá. Ele foi junto para conhecer outros colégios. Alguns confirmaram a má fama, outros merecem uma avaliação mais profunda para um "desempate". Gabriel  terá voto decisivo no processo.

Interessante é a pressão que uns exaltam e a liberdade de outros.

Piada> Desastre X Catástrofe

Quando vi que caiu um avião da Banda Calypso lembrei da velha piada.

- Qual a diferença de Desastre e Catástrofe?
- Desastre é um caminhão cheio de " XYZ" cair do alto de uma ponte de trocentros metros dentro de uma rio caudaloso.
- E catástrofe?
- Todos sobreviverem.

A coisa evoluiu, cai o avião deles e eles não estão!


Como XYZ se colocava grupos profissionais ou étnicos. Sim! É uma piada racista de mal gosto.

Saturday, November 22, 2008

MaiS ou menoS

Algo "singular" seria mai ou meno.

Entendo o S do maiS, mas o S do menoS é de não enteder. menos não devia ter S que indica plural, maiS.
Mais é meno, sem S.

Médiuns

Descobri que não sou nem dos mínimuns, nem dos máximuns, não passo de um "mais-ou-menuns".

Thursday, November 20, 2008

Piadas coloniais.....

Urbanóide vai em baile do interior de "SantiCruizUma Veiz". Tira uma alemoazinha para dançar.
- Com é teu nome?
- Atifinha. Começa com T.
- Thais?
- Não.
- Tereza?
- Não.
Depois de uns 20 nomes o "cola-fina" desisti.
- Qual o teu nome?
- Tulce.
 
A mesma piada para a menina cujo nome começaria com Ó.
Odete, Olívia,... e no fial era Órora (Aurora).
 
Piadas infantis com significado para quem é de região de colonização alemã. A troca do D pelo T e outras.
 
Gaúcho vai pra cidade e se apaixona pelas gravatas borboleta. Compra uma e no primeiro baile, numa região de alemães, não perde a chance de usar.
Novidade na colônia. Pede uma dança com uma loirinha, que entre envergonhada e curiosa comenta:
- Nunca fí tope em gola.
- E daí? Eu nunca vi tua .... perseguida.
 
Tope em gola soa a Tua Pingola. Pingola sendo as partes genitais do homem, logo a perseguida seria a delas.
Na verdade ele foi mais grosseiro, mas como este blog é familiar.

Chucro

Aqui na região quando uma pessoa é grosseira ou é meio "inguinorante", as pessoas a chamam de chucro.
Hoje conversei com dois chucrinhos.
"De modis" que este bichinhos se reproduzem é crescem.

Monday, November 17, 2008

Caspas

Tenho um conhecido que sempre comenta:
- Roupa escura, especialemnte pretas, me dão caspas.
 
O cara é conhecido como geada, tá sempre com os ombros esbranquiçados.

Aspas

Gosto de chamar as aspas de caspas, são uma sujeirinha nos ombros das palavras.

Definição minha.

Hoje numa prosa sobre preguiça, desocupados,... numa lista que frequento, larguei esta definição para ASPAS:

"As "caspas" são o dizer sem querer dizer, já dizendo."

Logicamente que coloco minha definição entre aspas. Ela merece.

Chamar outro de "desocupado", entre aspas é agressivo. Tu chamou o outro de desocupado, se ele te apertar, tu diz que não era bem isto que queria ter dito, mas disse.

 

Sem falar que agora se usa "caspas" nas conversas orais: dois dedos, das duas mãos, flexionados duas vezes, se possível  na altura dos ombros, melhor na altura das orelhas, para as aspas esta(rem) na(s) palavra(s) que sai(em) no momento do gesto.

 

Pobre do maneta que tem que fazer o gesto na direita e na esquerda.

Saturday, November 15, 2008

Sétimo

Meu número favorito é o 17, a soma dá 8, número do Gabriel.
Uma dezena a mais de postagens e chego no meu número... não chegarei. Hoje não.

Espamos

Como sempre este blog funciona assim.

Amor

Tava vendo um blog, de uma personagem que anda na mídia, blogueira profissional, pois seu marido morria e ela teve tempo de avisar no blog.
Tava vendo uma foto da felicidade dela em demonstrar que exalava alegria ao estar com certa pessoa.
O que me marcou na foto é a cara de tédio da pessoa que promove tanta felicidade.

Repito o escrito a pouco, queria ser pior.

Tenho que reconhecer, a blogueira, na tal foto, parece bem alegre... já a amiga...
O pior é que vou enviar este texto.
Tenho que me tratar.

Gestão Ambiental no Meio Ambiente Virtual

Na real, tudo que se deseja e se aplica na gestão ambiental do mundo real, deveria ser aplicado no meio ambiente virtual.
Reciclar, reduzir, reúsar, reutilizar, recusar, racionalizar, refletir, rir, ... até rezar. 
Tudo se aplica aqui, aqui onde? Escrevo realmente, aqui agora.
rrrrrrrrrrrr muito erre. 
Na virtual, quisera que tudo que virtualmente escrevo eu tivesse a vontade e iniciativa de começar. Sou bom virtualmente e preguiçoso realmente...
e preguiçoso virtualmente, pois tem alguma postagem na área de pastagem, engordando.

PHELICIDADE

É poder estar em casa, em Santa Maria, digitando isto daqui. Na mesma mesa Gabriel chacoalha os pézinhos (cada vez menos "inhos") jogando Star Wars no laptop da mãe.
Esta assisti um filme na TV (que eu já vi, senão tava là amontoado no sofá).
A uns 125 km minha mãe deve estar dormindo. Depois de 20 dias da cirurgia, dos sustos, hoje ela me disse:
- Fica até segunda em Santa Maria. Dormi bem, estou bem. Fica com a tua família.
Filho obediente que sou, obedecerei.
Volto segunda para Santa Cruz do Sul, para trabalhar e cuidar da minha mãe.

Projetos

Fazia horas que não tinha uma tarde de sábado tão produtiva.
Qualquer coisa que sair do que fiz hoje, será boa... na verdade já foi bom ter escrito.
Foram três projetos, um de custo zero, bem caseiro (condomínio) e que tem tudo para dar certo, mas è o que tenho mais medo de dar errado. 
Envolve muita gente conhecida, vizinhos, e tem aquela màxima: "santo de casa não faz milagre". 

Eu me assusto comigo.

Uso muito a famosa frase:
"Quando eu sou bom, sou bom, quando eu sou ruim, sou melhor"

Há dias que não queria ser tão bom, muito menos o melhor, queria ser pior.

Sunday, November 09, 2008

Texticulinho

Na fé ele deu ré. Ficou a pé.

E

E.T.E.
Estação de Tratamento de Esgoto.
Estação de Tratamento de Esterco.
Estação de Tratamento de Efluente.
Estação de Tratamento de Erny.
 

Saturday, November 08, 2008

Minha fé

Passados 12 dias da cirurgia de minha mãe, de fases dificeis, de uma quimioterapia que aconteceu e iniciou na quarta, de chamar minha irmã (que atendeu) que estava trabalhando na Costa Rica, as coisas seguem andando.
Nestes dias se questiona e se reforça a fé em questões de segundos.
O que eu sei é que fé para mim é esperança e amizade/amistosidade. Esperança no tratamento, esperança no milagre venha de onde venha. Nao refuguei nenhuma manifestaçao de solidariedade, de apoio, de oraçoes,... pelo simples fato que todas eram demonstrações de humanidade, para alguns boba, mas para a pessoa que dedicava a atenção para conosco e comigo era importante. Para mim foi e é importante e marca na memória a gentileza de um ato simples, porem inestimável.
Minha mãe, uma batalhadora, segue em frente. Vacilou e desanimou alguma vez, mas está "peleando". Nós, quatro filhos e dois netos, estamos na volta, para estender a água, afagar seu rosto, chorar e rir. Tem sido muita risada, apesar de tudo, há uma vida de felicidades quando se olha para trás. Há uma vida para frente quando se olha e projeta o futuro dos atuais netos.
Nestes dias tentei não perder o humor, quiça tenha sido dos momentos mais produtivos em termos profissionais.
Um momento difícil sendo o germe de coisas boas e grandes.
Dizem que Deus escreve certo em linhas tortas, por mim ele pode escrever torto nas linhas retas, a caligrafia de cada deus não me importa, o que tem importado é que a letra seja legível e a mensagem seja clara, boa e franca.
Agradeço a todos(as) cada manifestação de apoio que recebi. Minha fé mudou, ela tem um novo nome: amizade. È isto que agradeço, pois foi um combustível essencial para este momento. Amizade: esta é a minha fé, nela que acredito.
 

Wednesday, November 05, 2008

Caos

Semana passada, numa palestra, ouvi um interessante comentário: "o papel do homem tem sido semear o caos na terra".

O contexto era sobre sementes. Que muitas vezes a gente leva uma espécie de um lado a outro. Os animais, a água e/ou vento fazem isto, sempre fizeram, mas o homem potencializou isto.

Cultura típicas de um pais sao implantadas em outros continentes. Exemplos? Muitos.

Fico no eucalipto, típico australiano. Capim-anoni, mexilhão-dourado,... bah, vou parar por aqui... o tomate americao na pizza européia, a batata... o café, o cacau, a pimenta...

chega.

Isto aqui tá um caos.

Monday, November 03, 2008

Senta que la vem a história

Queria escrever muito, tudo, mas não dá. Tá difícil, bem difícil

Thursday, October 30, 2008

OHHH! Trambolho!

Concebida por Mike Tonkin e Anna Liu, esta escultura é feita de 1000 tubos galvanizados que, quando percorridos pelo vento, actuam como flautas. Esta árvore metálica produz notas e acordes que variam com a intensidade e direcção do vento, fazendo com que a música aleatória desta escultura alcance quilómetros na paisagem inglesa.
http://blog.uncovering.org/archives/2008/02/uma_arvore_musi.html

Wednesday, October 29, 2008

Vou fazer...


Duas: uma P e outra GG.

Tuesday, October 28, 2008

Mudança Climática

Esta tal de camada de ozônio ta atrapalhando o planeta.
As piracemas acontecem antes, as andorinhas já não fazem só o verão, mas a primavera também.
Sem esquecer dos Vestibulares de Verão, que acontecem em dezembro e até novembro.
Peraí, acho que vi um vestibular de verão agora em outubro...

Gostaria de saber qual a participação (%) das "pré-matriculas" nos orçamentos das privadas.
O inseguro faz vestibular nas privadas, passa em um (ou todos), se inscreve em um curso. Paga taxas.
Depois vai numa federal, que ainda respeitam o vestibular de verão no verão. Passa na federal e vai na privada resgatar sua pré-matricula.
Acho que deve dar uma grana legal este adianto dos vestibulares.
Sem falar no já instituído "vestibular personalizado": tu é quem faz tua prova. Dizem que a questão mais difícil é o Nome Completo.

Sunday, October 26, 2008

Causos de polícia

Sexta vim para Santa Maria de ônibus. Eu e um colega de trabalho, sentamos em bancos separados e no meio da viagem (o buzum era semi-direto), alguem sentou ao lado dele.
Pelas coincidência do destino era um sobrinho dele. Agente de polìcia faz 2 meses numa pequena cidade do interior gaúcho, nos brindou com uma série de ocorrências.
Estupro de éguas e ovelhas (com as denunciantes arrastando os maridos estupradores até a delegacia), pedidos de permissao para a poligamia de uma mulher (com a presença do marido e do namorado), até o questionamento se haveria uma Lei Joao da Penha em resposta a da Maria da Penha.
Sessenta dias com sessenta ocorrências, o cara já tem um capìtulo de um livro, se bem que as histórias apenas confirmam o que existe no imaginário popular.

Saturday, October 25, 2008

Escutado na fila do supermercado

- Minha orientadora foi passear no Chile.
- Férias?
- Foi para um congresso, mas vai passear... semana passada eu encontrei ela no supermercado, ela nem me reconheceu, Na verdade eu quase nem reconheci ela, ela mudou.

Ou a orientadora fez uma cirurgia radical ou é daquelas orientações beeeeem distantes.

Thursday, October 23, 2008

Tuesday, October 21, 2008

Simplicidade

O instrutor mostrava aos seus alunos seu kit de sobrevivência:
um pedaço de bombril e uma lupa para iniciar fogo, uma pilha velha,... um clipe para fazer um anzol.
O aluno, escoteiro, pergunta:
- Tio, não seria mais fácil o senhor levar um anzol?
E o outro completa:
- E para fazer fogo não dava para levar um isqueiro? Um fósforo. Ocuparia menos espaço que estas coisas.
 
Pronto: cortaram o espírito McGiver do tio.

Histórias de Caminhada

Ontem fui dar uma caminhada.
Fui até a captação de água para um Lago. Um barramento no Rio Pardinho.
Lá encontramos o vigia, acompanhado de uma matilha.
Conversa de hora, "mosquitama" comendo, na saída ele nos pergunta se ele tem que registrar um casal de pavões.
Ganhou dois filhotinhos de um amigo.
A prosa segue e ele nos conta da origem dos pavôes. O amigo tinha um pavão macho, numa das idas a Oktoberfest ele viu um casal de pavões exposto. No interior da gaiola um ovo. O amigo surrupiou o ovo, colocou-o para chocar numa galinha.
Vingou uma pavoa, que é a mae da duas gerações de pavoezinhos.

Saturday, October 18, 2008

Andanças

Semana passada circulei bastante. 
Ambientes urbanos, suburbanos e rurais. Reunioes com lideranças e conversas com produtores rurais. A simplicidade do colono é embriagante.
Uma semana de imaginar a cidade onde nasci para daqui a 20 anos, participando da confecção de uma agenda com ações para que ela fique como queremos.
Escolha de indicadores é o assunto da vez. Indicadores para acompanhar o sucesso da medidas adotadas frente as perspectivas desejadas.
Também foi uma semana de ação, com atuação e autuaçao contundente. Foi a semana de encarar a "malandragem" de empresários e consultores num projeto.
O detalhe inesperado: a cronologia do protocolo. 
Iniciar o processo do impactante em primeiro lugar.
Depois dizer que outro projeto nada tinha a ver com o principal. Ora se o principal (impactante) foi protocolado antes dos demais, fica claro que todos posteriores sao apoio ao primeiro.
Os malandros se embaralharam. Poderiam ter começado com um projeto simples, que seria  permitido legalmente, depois faziam uma segunda, quiça terceira etapa, iriam (infelizmente) preparando o terreno. Depois fariam uma divisao de terreno para instalar três mòdulos com licenciamento municipal (onde as exigências seriam menores).
Como já começaram dizendo ao que tinham vindo, o projeto sai da esfera municipal e ganha escala estadual. O estado tem poder de exigir um tratamento mais efetivo.
Infelizmente muitas cidades, na sua legislaçao municipal, ainda nao podem exigir ETEs (Estaçoes de Tratamento de Esgoto) para condomínios, isto tem que mudar.

Friday, October 17, 2008

Receita de bacalhau com cerveja

Ingredientes:
-bacalhau,
-tomates,
-azeite,
-alho,
-cebola,
-batatas,
-sal,
-cerveja,
-mulher

Modo de preparo:
Ponha a mulher na cozinha com os ingredientes e feche a porta.
Tome cerveja durante duas horas e depois peça para ser servido.
É uma delícia e praticamente não dá trabalho!

Wednesday, October 15, 2008

Sunday, October 12, 2008

Nada

Nadar é o inferno aquoso. Depois de uma semana pensei que a retomada nao seria tao dificil.
Ontem a olhada para o relógio foi aos 10 minutos!!!
Regredi. 
A culpa é eu nao saber dosar a velocidade.  Tenho que aprender a nadar devagar.

Sunday, October 05, 2008

Abstenções

É impressão minha ou a abstenção tem crescido?

Saturday, October 04, 2008

A natação e a perda da noção de tempo

Ou seria melhor: como estou fora de forma!
Fazia meses que não entrava numa piscina para NADAR.
Ultimamente piscina só para relaxar, jogar um volei, enfim, sem compromisso esportivo.
Mês passado Gabriel retornou para aulas de natação e eu fiquei de praticar no mesmo horário.
Seriam 45 minutos de outra atividade física.
Hoje a sineta soou e eu já estava fardado com touca e óculos novos, "relampiando" de novos.
A professora perguntou se eu sabia nadar. Ficamos dela me avaliar para que na semana corrija posturas, estilo, sei lá o que.
Comecei, fui, voltei, fui, voltei, fui... parei, respirei, voltei, fui.. fiquei, voltei,... enfim, ia e vinha com as paradas cada vez maiores.
Na raia ao lado um senhor ia e vinha sem parar, num ritmo lento, mas constante. Pensei, tenho que fazer o mesmo, fui e voltei e olhei o relógio. Já devia ter passado uns 40 minutos. Negativo, eu ainda tinha 34 minutos pela frente. Foram 11 minutos e eu já estava cansado, braços em brasa ... segui, indo e vindo, vindo e indo, curingando Gabriel na piscina ao lado.
Imagino os comentários da professora na semana que vem. Caso eu tenho algum estilo, acredito que fui perdendo pelo minutos que nadei. É bem mais facil meus 45 minutos de caminhada.
Dizem que a natação é das atividades físicas mais solitárias que existe. Eu acho que não, por que o que eu conversei hoje, na.o tá no mapa
 

Thursday, October 02, 2008

Mudança de quarto

Ontem mudei de quarto e de vista. Na verdade mudei por causa dela. Liberou um quarto, na pousada onde moro, com vista para uma mata virgem. Hoje acordei com uma exagerada sinfonia de sabiás, canários da terra e muitos outros pássaros.
Meu custo de hospedagem aumentou em 25%, mas vale cada centavo.
Irei providenciar restos dde frutas e grãos (alpiste, painço) para meus vizinhos.
Já conversei com a dona da pousada para organizar um minhocário.
 
 

Sunday, September 28, 2008

4 X 1

Normal, dentro do normal. É no andar da carroça que as melancias se acomodam.
 

Paella

Paella "pa" nós.
Excelente.

Wednesday, September 24, 2008

Niña Pastori

Som destes dias.

A primavera

A primavera e seus sabiás, onipresentes com suas cantorias.
A beleza de suas notas... as vezes incomoda.
 

Sunday, September 21, 2008

PSP

A novidade. Alimenta este post.

Thursday, September 18, 2008

Wednesday, September 17, 2008

QUINO

"Menos mal que o mundo sempre arde pelo outro lado."

A frase e suas 7 irmãs

Reunião busca saída para a crise.
Reunião busca saída para as crises.
Reunião busca saídas para a crise. - A original
Reunião busca saídas para as crises.
Reuniões buscam saída para a crise.
Reuniões buscam saída para as crises.
Reuniões buscam saídas para a crise.
Reuniões buscam saídas para as crises.

Monday, September 15, 2008

A lua

Bota luão nisto, côsa de lôco.
"Navegar" de oeste para leste, na esburacada estrada entre SM e SCS foi complicado, mas a lua era digna de lobisomar uns quantos.
 
 

Sunday, September 14, 2008

Comentaristas de futebol.

Estou aqui lendo uns artigos, mensagens de grupos que freqüento e curingando o piá fazendo um tema, ouvindo uma tertúlia sobre a rodada de futebol.
Lá pelas tantas um deles larga esta:
- " Até porque Fulano, enquanto jogador de futebol, nao é grande coisa."
Fico pensando se tal Fulano comentar:
- Até porque Beltrano, enquanto comentarista, nao é grande coisa.
Aposto que o Beltrano nao gostaria do comentário.

A matilha

Frase do Sisson, o Arnaldo:
"A matilha não deixa os fracos para trás porque se alimenta deles."

Ctónico

Ctónico

Em mitologia, e particularmente na grega, o termo ctónico (do grego χθονιος khthonios, "relativo à terra", "terreno") designa ou refere-se aos deuses ou espíritos do mundo subterrâneo, por oposição às divindades olímpicas. Por vezes são também denominados "telúricos" (do latin tellus).

A palavra grega χθών khthōn é uma das várias que são usadas para "terra", e refere-se tipicamente ao interior do solo mais do que à superfície da terra (como γαιηgaia ou γε ) ou à terra como território (como χορα khora). Evoca ao mesmo tempo a abundância e a sepultura.


Fonte: wikipedia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ctónico)

Era de Peixes (Yin Yang)

Saturday, September 13, 2008

Sunday, September 07, 2008

Friday, September 05, 2008

Calor e frio

Em poucas horas saímos de um calorao para um frio com chuva.
Nada como um pisco numa tardinha fria para "aquentar" os gragumilhos enquanto preparo a janta.
Na sala meu piá escuta ... vê música, assiste uns clipes.
Nestes dias devemos ter muito cuidado, escolher a roupa certa.
Mudando de assunto: rúcula é a segunda melhor coisa verde do muito. Em primeiro está o ECA, Esporte Clube Avenida, de Santa Cruz do Sul, rumo a Tóquio.

Wednesday, September 03, 2008

Phériax ...

O bom de umas fèrias caseiras é colocar a casa em dia. Ainda nao comecei a limpar armarios e mexer em caixas, pilhas, sacolas,... que deveria.
Estou colocando em ordem outras coisas: livros e filmes. Quinto dia e já assisti uma meai dùzia de filmes que tinha deixado para trás. Estou no segundo livro e ainda tenho dois livros tècnicos abertos pela casa. Fora umas revistas e jornais.
É muito bom chegar na locadora e achar filmes nao vistos.
Já os livros andavam parados pela casa, foi espichar a mao que surgiu um para ler.

Comitês

Vivo numa cidade com uma populaçaod e uns 270.000 habitantes, destes uns 185.000 sao eleitores.
Estou de férias, andando muito pela cidade. Época de eleiçao municipal, prefeito e vereadores querem votos.
Perto da minha casa, caminho do colégio do filho, feira, supermercado,... existem diversos comitês de candidatos.
Alguns pequenos, outros grandes, mas em todos o marasmo impera. Lugares desleixados, uma ou duas mesas, umas pilhas de "santinhos", umas bandeiras apoiadas numa parede. Das "gentes" nem vou falar, combinam com os locais.
Ainda nao tenho candidato, sei em quem NAO votar. As opçoes que se apresentam dao tristeza, mas exercerei meu direito.
Fica fácil saber em quem NAO votarei. Nao posso reeleger um partido cujo atual prefeito sobe encima de bancos. Bancos com placas para que nao se sente na parte superior, o encosto. Já que ele nao respeita as placas que seus subordinados colocaram, o que posso esperar do demais?
Como votar num candidato que sendo presidente de uma CPI aceita carona de um investigado?
A côsa anda feia. Para vereador entao... pior é que poderia votar na cidade onde trabalho, minhas origens, só que lá tambem nao anda fácil escolher.
Desânimo total, feito os comitês que eu andei vendo. Já vi velòrios mais animados.

Tuesday, September 02, 2008

Phériax +

O melhor, e o pior, destas fèrias tem sido as noites. Estar aqui digitando, tomando uma "xeláda", olhando nosso pitoco-toco desenhando umas cartas, vale a pena.
Falta "ELA" que está lá nas terras de Gaudí-
Carta pronta: GABRIEL GUERREIRO LOBISOMEN
FORÇA-MAGIA-FOGO: 100
 
Tudo 100, o máximo. É o trunfo do baralho, ninguem ganha!
Nome do baralho: A LUTA DOS MONSTROS.
 
Vou encomendar minha carta: FRANKENSTERNY

PHÉRIAX

Férias 100% caseiras!
Desde ontem assumi a casa. A patroa em terras catalanas conectada via skype, msn, gmail,... o que ajudar no confuso fuso de 5 horas.
Serao 15 dias participando intensamente da vida do piá. Levar e burcas da aula, do inglês, da nataçao, da praça,...
Perdemos um clima incrível no final de semana que passou. Temos uma "garimpada" por Sao Sepé e Caçapava do Sul. Iremos num hotel fazenda andar a cavalo e visitar umas minas de ouro onde trabalhei nos anos 80 e 90 (até 92).
Quero rever amigos daquela época e apresentar o Gabriel para eles.
Quero ir nas Guaritas, formaçoes geológicas únicas no Rio Grande do Sul.
Enfim, as férias nao serao tao caseiras. Desde que o clima permita. O final de semana que passou teria sido perfeito, pena que a tal de preguiça me segurou pela cidade, nao em casa, pois passamos na rua, praças e pátios.

Wednesday, August 27, 2008

A Vida no Sanatório

Faz uns 4 meses mudei-me para um sanatório. Antigo sanatório desativado, hoje funciona como pensão.
Quartos como e sem banheiro, são os antigos quartos de pacientes. O prédio é muito interessante. um corpo principal, alas de apoio e uma casa anexa.
Tudo numa área de 27 hectares. A área de funcionamento ocupa uns 2 ha.
Na origem este local funcionou como SPA, terapias alternativas, com lama entre outras. Ele já funcionou como hospital, confesso nao saber se com procedimentos cirurgicos.
O local é execelnte para uma clinica, com uma bela reforma seria perfeito.
 

Tuesday, August 26, 2008

Hino do RS

Hoje cantei o Hino do Rio Grande do Sul. Aconteceu o normal aqui no RS, todos cantam o Hino Nacional (Brasil) mas na hora do Hino Gaúcho as pessoas se entregam.
 
Gosto de canta-lo. Gosto de ouvir os DE MODELO.
Para quem não sabe os portoalegrenses e santacruzenses usam DI pelo de.
No hino todos encaram bem os dois primeiros DE MODELO mas terceiro sempre sai um DI MODELO.
Deixo uns links para quem quiser escutar o hino e reproduzo a letra mais abaixo.
Um bem vocalizado pelo Wilson Paim
 
Para tontear:
 

HISTÓRIA DO HINO RIO-GRANDENSE

 

LETRAS E AUTORES
O Hino Rio-Grandense que hoje cantamos tem a sua história particular e, porque não dizer, peculiar. Porque muitas controvérsias apresentou, desde seus tempos de criação até os tempos de então. Oficialmente existe o registro de três letras para o hino, desde os tempos do Decênio Heróico até aos nossos dias. Num espaço de tempo de quase um século foram utilizadas três letras diferentes até que finalmente foi resolvido, por uma comissão abalizada, que somente um deles deveria figurar como hino oficial.

O PRIMEIRO HINO
A história real do Hino, começa com a tomada da então Vila de Rio Pardo, pelas forças revolucionárias farroupilhas. Ocasião em que foram aprisionados uma unidade do Exército Imperial, o 2° Batalhão, inclusive com a sua banda de música. E o mestre desta banda musical, Joaquim José de Mendanha, mineiro de nascimento que também foi feito prisioneiro era um músico muito famoso e considerado um grande compositor. Após a sua prisão ele, Mendanha, teria sido convencido a compor uma peça musical que homenageasse a vitória das forças farroupilhas, ou seja a brilhante vitória de 30 de abril de 1838, no célebre "Combate de Rio Pardo".
Mendanha, diante das circunstâncias, resolveu compor uma música que, segundo alguns autores, era um plágio de uma valsa de Strauss. A melodia composta por Mendanha era apenas musicada. E o capitão Serafim José de Alencastre, pertencente as hostes farrapas e que também era versado em música e poesia, entusiasmado pelos acontecimentos, resolveu escrever uma letra alusiva à tomada de Rio Pardo.

O SEGUNDO HINO
Quase um ano após a tomada de Rio Pardo, foi composta uma nova letra e que foi cantada como Hino Nacional, o autor deste hino é desconhecido, oficialmente ele é dado como criação de autor ignorado. O jornal "O Povo", considerado o jornal da República Riograndense em sua edição de 4 de maio de 1839 chamou-o de "o Hino da Nação".
O TERCEIRO HINO
Após o término do movimento apareceu uma terceira letra, desta vez com autor conhecido: Francisco Pinto da Fontoura, vulgo "o Chiquinho da Vovó". Esta terceira versão foi a que mais caiu no agrado da alma popular. Um fato que contribui para isto foi que o autor, depois de pronto este terceiro hino, continuou ensinando aos seus contemporâneos o hino com sua letra. A letra deste autor é basicamente a mesma adotada como sendo a oficial até hoje, mas a segunda estrofe, que foi suprimida posteriormente, era a seguinte:

Entre nós reviva Atenas
Para assombro dos tiranos;
Sejamos gregos na Glória,
E na virtude, romanos.

O HINO DEFINITIVO
Estas três letras foram interpretadas ao gosto de cada um até meados do ano de 1933, ano em que estavam no auge os preparativos para a "Semana do Centenário da Revolução Farroupilha". Nesse momento um grupo de intelectuais resolveu escolher uma das versões para ser a letra oficial do hino do Rio Grande do Sul.
A partir daí, o Instituto Histórico contando com a colaboração da Sociedade Rio-Grandense de Educação, fez a harmonização e a oficialização do hino. O Hino foi então adotado naquele ano de 1934, com a letra total conforme fora escrito pelo autor, no século passado, caindo em desuso os outros poemas.
No ano de 1966, o Hino foi oficializado como Hino Farroupilha ou Hino Rio-Grandense, por força da lei 5213 de 05 de janeiro de 1966, quando foi suprimida a segunda estrofe.

 
 
 
 

HINO RIO-GRANDENSE

 

LETRA
Francisco Pinto da Fontoura
(vulgo Chiquinho da Vovó)

MÚSICA
Comendador Maestro Joaquim José de Mendanha

HARMONIZAÇÃO
Antônio Corte Real


Como a aurora precursora
do farol da divindade,
foi o Vinte de Setembro
o precursor da liberdade.

Estribilho:
Mostremos valor, constância,
Nesta ímpia e injusta guerra,
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra,
De modelo a toda terra.
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra.


Mas não basta pra ser livre
ser forte, aguerrido e bravo,
povo que não tem virtude
acaba por ser escravo.

Estribilho:
Mostremos valor, constância,
Nesta ímpia e injusta guerra,
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra,
De modelo a toda terra.
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra.

Desdobrando palavras

Humano = Um mano
Competência = Com PT & Cia. (esta é dose, criei o antônimo)
Situar = Cito o ar
Ditadura = Dita dura
Velocidade = Veloz idade
Articulação =Arte com ação
Servidor = Serve dor
Compor = Com por
Demais = Dê mais
 
A próxima surgiu de uma prosa no MSN.
Escrevi "a gosto em setembro" = agosto em se tem brô
Enfim, que bobagem.

Mania

Manias? Muitas.
Quando estou em um evento minha concentração era/é ficar desenhando gosmas. Figuras retorcidas que eu preencho e começo outra.
Quanta caneta gastei fazendo isto.
De uns tempos para cá surgiu outra: dividir palavras.
Hoje um colega perguntou:
- O que é isto?
- Tô desdobrando umas palavras.
A mania consiste em ir, no meio das anotações, ir dividindo palavras em duas, três,... as vezes reforça o sentido.
Afinal muitas palavras são junções de outras. Na maioria das vezes o desdobre dá outras palavras, mudo uma ou outra letra, repito uma, enfim. Mania.
Largarei a seguir a sequencia de hoje. Quiça fique como resumo do evento. Lã, com til, adiante quem sabe eu me lembre o evento ou do assunto.

Mais um parto ao contrário

Lá se foi ela. Rumo a Barcelona. Tem sido assim, a cada 6 meses uns 20 dias de Barcino.
Desta vez fica Castelldefels Platja (Praia), tranquilidade e Mediterrâneo a poucos metros.
Sei.
Marido e filho passam bem, ela deve estar mal, afinal fica o filhote.
 

Saturday, August 23, 2008

Eleiçoes Americanas

OSAMA BIDEN LADO-a-lado soa muito OSAMA BIN LADEN.

Divertido

Thursday, August 21, 2008

Sem limites

A paternidade é algo muito especial.
Num momento escrevo sobre o filho, confesso este amor infinito.
Horas depois ele consegue superar todas espectativas inimagináveis.
No meio de uma consulta, com uma pediatra, esta pede que a mãe saia.
Ali, sózinha, ela pergunta o que ele mais queria se lhe surgisse nas mãos a lâmpada de Aladin. Três desejos:
O primeiro: que o vô Lauro estivesse vivo para poder conhece-lo.
Lauro é o meu pai, falecido fazem 10 anos, que ele não conheceu.
Os demais são que seus colegas não tivessem boca e que pudesse jogar no computador sempre que quisesse.
A referência ao meu pai foi muito interessante e emocionante.
Ser pai é ter um amor sem limites.

Garranchos

A falta de atenção, concentração e uma letrinha feia fizeram que a professora pedisse uma "revisão" no filhote.
Tensão pré-viagem da mãe (que fica 20 dias fora), recem volta das férias, fazem com que o filho tenha relaxado.
Como explicar para um filho que ele tem que fazer toda conta, escrever a S.M. (Sentença Matemática), fazer uma grade com C.D.U (Centena, dezena e unidade) colocar os números embaixo e depois escrever toda a resposta, se ele faz a conta de cabeça. Para ele bastaria colocar o número.
Enfim, se é para buscar ajuda, ajuda buscaremos, Um check-up completo, sete profissionais. Visão, audição, fala, cabeça, tronco e membros. Psico normal e pedagoga.
No final teremos um retrato do piá.
Numa das consultas ele e a mãe chegam cedo. Enquanto a mãe se distrai ele puxa conversa com a atendente:
- Vim aqui para resolver o problema destes meus garranchos.
Sim, naquele papel tinha uns garranchos, mas a letra pode sair bem legível.
Mesmo que a próxima geração será mais da digitação, escrever com clareza ainda é importante.
O piá anda conquistando suas analistas, acredito que um parecer negativo só venha por quererem mais contato com a figurinha. Que é preguiçosa, as vezes, manhosa, as vezes, furiosa, as vezes,... enfim, humano.
Na verdade o humano que mais amo neste universo, com seus garranchos e defeitos (a maioria herdados deste que aqui escreve).

Wednesday, August 20, 2008

Bombas Químicas

Faz parte do meu trabalho. Um escola, grande, pública, que tem seu laboratório.
Compras e doações, pouco uso do laboratório, levaram a um acúmulo de materiais. Alguns vencidos, porém perfeitamente utilizáveis, outros com rótulos perdidos, mal rotulados, levaram a um problema comum: falta de espaço.
A solução é sumir com tudo, mandar para algum lugar. Onde?
De algum lugar vem a "solução": coloca tudo dentro de tonéis que alguem irá buscar. Quem? De graça?
Este é o quadro que levou a situação que encontramos: dois tonéis cheios de frascos, fechados/abertos, cheios/vazios, sólidos/liquidos, concentrados/diluidos, inteiros/quebrados, sais/ácidos/bases/orgânicos,...
Enfim um misturê.
Chegamos para orientar, mas acabamos colocando a mão na massa.
Esvaziamos tonéis, com calma, cuidado e EPIs (Equipamento de Proteção Individual), olhamos prateleiras onde garrafões com 5 litros de solventes não caem, porque não querem.
Seis bancadas são ocupados, espalhando conteúdo, frascos sáo retirados de prateleiras, relocados para armários.
Reagentes potencialmente utilizaveis saem do tonél e volta a uma prateleira de armário fechado. Sais para aqui, ácidos para lá, bases acolá, orgânicos em outro armário. Fumegantes para a capela.
No final sobram frascos sem identificação, a perda do nome lhe imputa situação de "rejeito" (ainda se pode analisar e etiqe]uetar, mas a que cu$to?).
O que se podias descartar, jogar fora, é jogado. Alguma coisa vai pia abaixo, algumas com a neutralização.
Há uma redução de volume grande, mas a ergunta segue: para onde enviar?
Agora começo (sózinho) uma fase de contatos. Grandes empresas que outrora doaram poderiam receber de volta?
A ONG que é uma fundação ambiental de grandes empresas poderá ajudar esta e outra(s) escola(s)? A universidade comunitária poderia receber alguns reagentes como doaçao mas levar de "brinde" alguns rejeitos?
Estas perguntas seram meu trabalho, voluntário, nos próximos dias. Voluntario em parte, pois é minha missão proteger o meio ambiente, porem não de maneira tão atuante ... metendo a mão na massa.
Sorte que tive ajuda, essencial e na verdade quem meteu a mão foi uma estagiária.
Espero encontrar outros(as) que no futuro me ajudem a ir resolvendo problemas aqui e lá; Pelo visto este foi o primeiro.
 
 
Ahh! E por que bombas químicas.
Num mesmo tambor havia CIANETO e ÁCIDOS. Caso ambos frascos/potes se rompessem e reagissem se formaria ácido cianídrico (HCN), mesmo gás qe foi usado nas matanças em campos de concentração. Mortal.
Outras misturas mortais poderiam(em) se formar quando se mistura indiscriminadamente reagentes ou resíduos.
Muito cuidado... sempre.

Bolt vestido de Jesus


Na raia 4 Bolt. Na 5 Phelps.
Nesta "foto" Bolt está mais branquinho e com barba.

Bolt

Nasceu na jamaica, terra do reggae, e é o cara.
Bolt X Phelps.
Arrisco a dizer que se o jamaicano enveredar em direção a uma piscina, ele atravessa caminhando sobre as águas.

Tuesday, August 19, 2008

Nomes nas Olimpíadas

Confesso que uma das coisas legais de assistir as olimpíadas é ver os nomes.
No atletismo a freguesia é mais diversa que na natação, afinal são poucos africanos negros e muçulmanos que participam.
Cada prova é um desfilar de nomes exóticos e eróticos.
Eu bem que poderia ver o catálogo telefônico, se gostasse de ver nomes, mas sempre ficaria em dúvida se o que leio é nome de gente ou loja de eletrodoméstico.
Assim a cada 4 anos vejo como andam os nomes do mundo.
Destaque para as atletas russas. Alguns nomes não encaixam com algumas.
Hoje, ontem, na final dos 1500 m masculino, me aparece um ser chamado Asbel Kipruto Kiprop. As pernas do girivá tem uma descrição bem gaudéria: um par de caniços.
O tal Kipruto corre em parceria com o Augustine Kiprono Choge, ambos do Quenia, Kipruto&Kiprono, dupla sertaneja.
Surge um tal de Ramzi e acaba com a festa do Kipruto, que-puto ficou, parece que ter puxado o ritmo afetou seu rendimento.


 

Monday, August 18, 2008

Phelps nao ganhou a sètima medalha

A final dos 100 m Borboleta foi ajeitada.
Os americanos fizeram um arranjo com sèrvios e chineses. Um centèsimo?
Pelo show deram a vitòria para o americano.
Os chineses devem ganhar uns dois ou tres ouros a mais, os sérvios devem ter alguma ajuda.
Os sèrvios ameaçaram reclamar, mas tiraram a reclamaçao.
Esta é a minha teoria.

SERRAT

Blues en sol (Cantat en mi)
Esta música eu jà transcrevi. Eis aqui o link:

LAS GRECAS

Acho que jà escrevi sobre Las Grecas. Conheci o som delas e suas história em 92. Na mesma época conheci Camarón de la Isla.
Comprei um CD duplo das Grecas em Andorra. Minha esposa me condenou, mas depois de escutar ela entendeu meu gosto.
Mistura de tudo, rock, musica àrabe, cigana, grega, andaluza,... tem samba em algum ponto de uma e outra batucada.
Eu gosto.
Deixo o link pro youtube, basta colocar LAS GRECAS e aproveitar... ou Ñ.

Sunday, August 17, 2008

Saltitando no telhado

Entao seu Diego Hypolito grava propaganda, saltita, rodopia num telhado, para bem na beirada. 
Lá em Pequim cai de bunda. Será que ele faria a cena num lugar real, sem dublês?
Como o banco teve coragem de deixar a cena rolar enquanto nos programas ele esquentava a bunda no chao?
 

Saturday, August 16, 2008

O cara

Nao tenho pretado atençao nestas olimpiadas. Um joguinho aqui, o Phelps arrasando lá, uma e outra prova.
A medalha do Cielo foi lavada pelas suas lágrimas.
O cara para mim, até agora, é um tal de Eduardo Santos. Judoca, perdu a chance de medalha de bronze mas pelo visto batalhou. Em competiçao que eu imaginava ser só de faixas pretas foi marron até pouc tempo (dez-07).
Chorou or nao ter ganho,
Outros(as) viajaram a nossas custas sem condiçoes de participar. Gastaram milhas, pouso e comida para confessarem estarem sem condições de competir. Tinham que restituir os custos aos cofres nacionais.
Um ciclista tinha pedras nos rins, outro não-sei-o-que. Periga e um tinha uma hemorróida coçando.
Putz, quer ir para uma olimpíadas? Prove que tem condiçoes fisicas para tal.
O cara, para mim, é o Eduardo Santos, que perdeu, mas batalhou.
Ta aí um cara que merece apoio após sua volta.

Condominios.

Em condomínios existe política de boa vizinhança.
No universo dos blogs esta política atinge um outro patamar.
Tudo que meu "vizinho" escreve é bom, insubstituivel e essencial.
Eu queria vizinhos reais como se fossem vizinhos de condomínios blogais, eles são perfeitos.
Quando eles peidam sente-se o odor de jasmim.
Considerado que jasmim seja um odor agradável. Prefiro um "chêrô" de Ted Lapidus, perfuminho que ganhei esta semana.

Thursday, August 14, 2008

De deixar de boca aberta

Daí eu me pergunto: A guria, profissional que abre as bocas alheias para trabalhar, tira uma fotos. Muito a vontade.
Possivelmente para publicações que exploram a imagem nua ou semi-nua de jovens. As fotos caem na internet.
Numa cidade de ~120.000 habitantes, causa furor, afinal os pais ocupam lugar de destaque na grande universidade local.
Agora andam querendo descobrir quem liberou as fotos. O "mal" está feito. A menina das colunas sociais da cidade nos discos DUROS de milhares de pessoas. Muita gente com dor de dente querendo saber o endereço do consultório.
Não se sabe se mais um daqueles casos de fotos "perdidas" que ajudam algumas a se promoverem.
A moça deixou muitos de boca aberta, profissionalmente com suas brocas e espelhinho, ou pelas belas fotos.
 
Daí eu ia perguntar o que mesmo? Esqueci, no meio do texto fui dar mais uma olhada nos retratos da moça.
Bonita, muito bonita, mas de um tipo de beleza que na cidade tem aos quilos.

Tuesday, August 12, 2008

Olhar para cima e olhar para baixo

Independente de estatísticas, de faixas, de índices, eu sei que ando mais para o topo do que para a base da pirâmide social.
Acima de mim tem muita gente rica, mais abastada, que vive de maneira mais confortável do que eu, não diria que melhor, pois este é um conceito muito pessoal. Pessoas que moram em casas maiores, mais confortáveis, mais bonitas, pessoas que comem melhor, quitutes mais rebuscados, refinados, pessoas que viajam mais, que tem mais tempo livre, enfim, pessoas que tem muito mai$$$$$ do que eu.
Abaixo de mim existem muito mais pessoas, gente que não tem onde morar, o que comer e não tem perspectiva de vida.
Ao meu lado, na esquerda ou direta, em frente... atrás não... tenho pessoas que circulam no mesmo meio, alguns focam sua energia em acumular, outros em viver melhor, comer diferente, beber mais frescamente.
Eu ando buscando um equilibrio no ter e fazer.
Acumular alguma coisa para o filho, sem esquecer que sua educação é a maior herança, que o "fazer", o viajar faz parte de sua formação, mas com uma "graxinha", uma reserva energética para nossos futuros.
Por estas e outras ando organizando a próxima viagem, provavelmente um destino internacional, américa central, tudo porque minha irmã está se aventurando por lá. Que ela tenha muito sucesso nesta nova empreitada. De quebra teremos um ponto de apoio bem em um dos paíse que mais aproveita seus recursos naturais com sustentabilidade ambiental: Costa Rica.

Saturday, August 09, 2008

Campanha

Hoje enfrentei dos programas que mais tenho asco: ir ao centro de Santa Maria num sábado pela manhã. Com um agravante incomensurável: em época pré-campanha.
Fui para acompanhar minha mãe que nos visita e queria comprar presentes para os netos.
Como sinto claustrofobia em certas lojas de departamentos, decidi enfrentar a agorafobia do calcadão e suas campanhas.
Sobe turma do PMDB, desce turma do PT, recebo material do PSOL, sentado fazendo uma fotossíntese.
Nos bancos de madeira, onde sento, uma placa pede o favor de que não se sente no encosto.
Vejo a turma do PT, com seu candidato que aceitou caronas estranhas quando presidia uma CPI, aproximando-se.
Na frente o atual prefeito, o clone do pai do Chico Bento, que sem vacilar sobe no banco vazio ao meu lado.
Não tenho dúvidas, puxo na calça dele, o que é testemunhado por partidários e fotógrafos, e peço a ele que respeite as placas que, provavelmente, a equipe dele tinha colocado.
Escuto ele me dizer que precisa interferir para evitar confronto. Comento que seus correligionários o poderiam sustentá-lo nos ombros.
Noto olhares avessos. Um deles comenta que ele não estava sentado. Que ironia!
Ao que comento, que pisar me parece pior que colocar a bunda.
Um lider do PT local segue me encarando, bandeira em punho, cara muito feia, barba mal cortada.
A turma girtava: O calçadão é nosso! Olho para o que me ameaçava com olhares e comento:
- Sendo o calçadão sendo de voces, do PT ou da administração, voces bem que podiam cuidar mais deste chiqueiro.
O grupo seguiu.

Friday, August 08, 2008

Dia Especial! Hora Especial!

Muito se fala no número da besta: 666.
A soma dá 18> Um Oito. Poucos sabem que o oito, o símbolo do infinito de pé, é um número para lá de especial.
Não é a toa que é número preferido do Gabriel. Meu número tido como de sorte, que me acompanha em diversos momentos, é o 17, cuja soma é oito.
Hoje as 08:08:08 hs de 08 de 08 de 08, rezei oito preces. Sinto-me especialmente protegido.

Saturday, August 02, 2008

Vinhos

Como escrevi a pouco, no começo de julho fui a Rivera, UY, renovar estoques de bebidas, comprar artigos esportivos, perfumarias,... e dar uma olhada pela pampa gaùcha brasleira.
Comprei vinhos, pois no final de semana seguinte, dia 12, faria aniversário e um entrevero se organizava.
Para meu azar no dia 12 fez um calorão. Na tarde comprei umas cervejas. A cada convidado que chegava eu oferecia:
- Vinho? Cerveja?
Todos foram aceitando cerveja. Todos vieram de tàxi, o que indicava que a "sede" seria grande.
Resultado, dei uma escapada e comprei mais cerveja. Até porque eu tambêm enveredei para o suco de cevada.
Resultado, outro, exagerado que sou sobraram cervejas e muito vinho.
E eu ainda inventei de trazer mais na semana passada.

Uruguai

No fim de semana passada passamos 4 dias no Uruguai. Fomos para o Departamento de Salto. Ficamos num hotel chamado Los Naranjos, que se localiza numa fazenda de laranjas abandonada. Falando nisto, nunca provei de suco tão azedo, deve ser a variedade para produzir suco industrial.
Viajar para lá foi a opção de descansar. O hotel tinha um serviço honesto e preço melhor que os correspondentes brasileiros. A água termal que lá brota é da mesma fonte que as das termas brasileiras e tem a mesma "origem", apareceu nas perfurações de busca de petróleo.
Passeamos bastante, comemos muito bem a preços bons.
O Uruguai é um país que desperta sentimentos confusos. Aparenta uma pobreza mas não mostra miséria. Há poucos picos de ostentação.
Tudo parece mais simples. Inclusive a comida e os chinchulins e mollejas (tripa e glândula salivar) que nos oferecem nas parrilladas.
As estadas são boas e os uruguaios respeitam mesmo os limites de velocidade.
Um destaque a um belo projeto do governo uruguaio para observação de pàssaros. Eles instalam observatórios em vários pontos pelo paìs. Dentro cartazes com as espécies da região. No hotel tínhamos uma "caseta" bem ao lado do lago construído para esfriar as águas quentes das piscina. Ali formou-se um ecossistema interessante, afinal tem água quente no inverno. Observamos os doze pássaros indicados e de brinde vimos uma nútria (ratão do banhado) brincar com seus filhotes a menos de 10 m de nós.
Um destaque ao povo, tanquilo e educado, roça o servilismo. É um povo sem belezas excessivas. Não se ve gente bonita nas ruas e espaços públicos... resumindo, são feios, estéticamente.
Gabriel aproveitou muito. Um dos motivos de declinar das termas brasileiras foi a possibilidade do Bi exercitar seu castelhano. Ano passado forma uns meses de Bracelona, no verão catarinense foram as prosas com argentinos e agora arranjou uns amigos uruguaios e argentinos do hotel. Na verdade a freguesia do hotel são argentinos e brazucas.
Demos uma volta pela Argentina, na verdade nem tocamos o solo.
Não sei se repetiremos a dose, gostamos de tudo, não tivemos problemas, bebemos e comemos muito bem, mas não ficou aquele gosto de quero mais, quero outra vez.
Lògico que na volta teve parada em Rivera, que neste mês foram duas, e "comprijas" foram feitas. Destaque a uma compra duplamente NÃO feita. Novamente não compramos o "kidquidificador", mas vinho veio, desta vez menos e mais variados. No inìcio do mês veio de caixa, desta vez veio uma caixa com todos diferentes, para diferentes ocasiões, comidas...

Thursday, July 24, 2008

Laranjada

Nos pròximos quatro dias vou estar como um jacarè, "sò com os zòinhos pra fora da água".
Pelo nome do hotel acredito que não irá faltar suco de laranja no café da manhã.
Sinto que irei murchar de tanta água "caliente".
Amanhã é feriado em algumas cidades: é o dia do colono e do motorista.
Em Santa Cruz do Sul é feriado, pela colonização alemã.
Falando em  dia do motorista.
Se for dirigir, não beba.
Se for beber, me chama, depois a gente racha um táxi,

Saturday, July 19, 2008

Causos da vistorias

Nesta semana, já contei, fui para Sobradinho e região.
Entre alguns empreendimentos acabei indo ver um antigo lixão, já contei.
O que não contei foi a chegada.
Estava acompanhado de um colega da prefeitura da cidade. Quando fomos chegando notei que a situação estava feia. Perto dos containeres de transbordo, havia lixo no chão e um casal de catadores. Quando descemos do carro o colega me contou;
- Este cara anda armado, já me ameaçou matar duas vezes.
Desci, máquina fotográfica em punho e saí tirando "retrato" (fotos). A segunda foi um close, de longe, do meu possível assassino. No mínimo iria ajudar a polícia a indentificar o criminoso. Depois da quarta foto, fui lá me apresentar ao casal, perguntei pelo trabalho, renda, se eles iriam para o novo transbordo e usina de triagem,...
Na saída dei e recebi um adeus. Apesar do trabalho duro, da possível arma na cintura, o casal me pareceu simpático. Mesmo de maneira errada eles reciclam muita coisa. Reduzem a quantidade de lixo que vai para o aterro, aumenta a vida útil deste, economiza no transporte, na frequencia de retiradas de constaineres com lixo.
Quem sabe, nestes últimos anos, eles possam ter encaminhado para recclagem um ou dois containeres de lixo. E não são reconhecidos pela sociedade.
Os garimpeiros do lixo, apesar de muitos inconvenientes (trânsito, sujeira,..) economizam nosso dinheiro.
Por isto é bom facilitar a vida deles. Separe o lixo.

Thursday, July 17, 2008

Quem explica.

Saída de Sta Cruz: 11 da manhã. Previsão de chegada: 13 hs. Almoço e reunião as 14 hs.
Meio dia, polícia rodviária de Taquari. Polìcia estadual, nós num carro da SEMA, E de estadual.
Somos parados.
-Documentos?
- E o de 2008?
Resumindo. Ficamos cuarando das 12 até as 15:40 h no posto. Vimos a camionete Toyota da SEMA se levado para depòsito do DETRAN.
Por que? Pagaram o IPVA, a taxa de emssão mas esqueceram do seguro obrigatório.
O "colega" que não pagou tal seguro, demorou 2 horas para sair de Porto Alegre para nos resgatar.
Hoje senti uma leve vontade de matar alguem, mas me controlei quando o "colega" apareceu. Nunca ouvi antas desculpas. Ele seria morto por mim e mais dois.
O motorista levará 5 pontos na carteira e multa de uns 150 pilas. É advogado, para azar do "colega", acho que vai sair um processinho na casa.
Ainda não almocei, daqui a pouco encaro uma janta reforçada.
Resumindo: o estado parou, multou e mandou guinchar um carro do estado, dirigido por colegas do estado, porque o estado não pagou uma taxa do estado.
Meu estado é de raiva. Sorte que vamos tomar muitos choppes daqui a meia hora!
 

Wednesday, July 16, 2008

Florestas

Andei vendo que dia 17 é o dia de Proteção às Florestas.
Irei no contra-ponto da idéia.
Primeiro fui pesquisar o que é uma floresta. A definição mais simples que achei: é uma área com uma alta densidade de árvores.
Simples, porém complexo.
Áreas de reflorestamento, com intuito de uso comercial, para indústria da celulose são produções intensivas de florestas.
Reflorestar, para mim, é florestar novamente áreas onde existiam ... o que? ... florestas.
Estou acompanhando, muito de perto, a chegada de massivas florestas no Rio Grande do Sul. Estou testemunhando a troca do pampa, de uma biodiversidade única no Brasil por mega projetos de FLORESTAMENTO. Áreas enormes de produção de celulose que alimentarão fàbricas de, principalmente, papel higiênico.
Sim, hoje grande parte do papel produzido é para limpeza íntima, pensem nisto, um bom momento de pensar nisto é justamente no momento prèvio ao uso do tal de papel higiênico.
Dá para economizar? Nesta hora se consegue pensar em redução? E o conceito de reuso? Não adianta, tem consumos inevitáveis... tá, dá para lavar, mas e o consumo de água, de sabonete,...
Já mudei de assunto. Voltemos ao florestamento do Rio Grande do Sul.
Estamos testemunhando a mudança da paisagem gaúcha. Teremos saudades do criticado gigolô de vacas, que mantinha um rebanho em muitos hectares, quando o deserto verde de eucaliptos tomarem conta da paisagem.
Sentiremos saudades do explorador, que mantinha um capataz e dois a três agregados para cuidar de muitos hectares. As florestas de celulose ocuparão menos mão de obra.
Sentiremos falta da água que estas florestas sugarão de nosso solo. Alguns comentam: mas o eucalipto só consome água enquanto cresce! Sim, é verdade, mas nestes florestamentos ele nunca fica adulto, ele sempre está crescendo, quando pára de crescer é cortado!!!
No futuro teremos muitas Florestas Negras como na Alemanha, florestas padronizadas, sem a beleza da diversidade do caos que são as florestas naturais.
Feito. Este texto foi escrito em poucos minutos, sem revisão, precisaria de um papel higiênico para dar uma limpada, mas hoje vou economizar.

Estufas



Eis aqui uma idéia para usar embalagens plásticas para uso como pequenas estufas.

Estas "estufinhas" podem servir para germinar e proteger sementes. Num dos cantos se pode deixar um reservatório com água, um copo de cafézinho (usado) pode ajudar a manter a umidade dentro da estufa. Nesta das fotos, náo deixei o tal reservatório. Dentro deve ter uns dois centímetros de solo. Notem que o solo está seco (abandono meu) mas a tampa está cheia de gotícolas, úmida. Nesta estufa estou germinando sementes de laranja, elas ainda náo brotaram mas estão começando.
Ia esquecendo, sou bem desligado da melhor época de plantio, semeadura. Minha lógica: sendo fruta da estação deve ser época de "plantio".
Nesta embalagem comprei uma bela porção de cuca de maça. Já usei aquelas embalagens onde vem tortas, elas são mais altas (porém mais rasas), servem bem para proteger pequenos vasinhos.
Outra hora mostrarei a evolução destas estufas. Estas estão na minha casa.

Viagens

Este blog não tem pauta, nem ordem, muito menos organização,... é um "ajuntamento" de ocorridos e acontecidos.
Então vamos registrar: ontem me bandeei para o centro-serra do Rio Grande do Sul. Conhecia algumas cidades, Passa Sete, Sobradinho, Ibarama,... e acabei indo em mais duas que não conhecia: Arroio do tigre e Tunas.
Região bonita, rios belos, paredões, produção,... Como sempre encontrei algumas figuras, gente simples, gente interessante ...
Quanto ao trabalho este foi simples e direto. Pragmático. De ruim apenas  uma remediação de antigo lixão que não foi mantida a contento, por sorte o município está se organizando, fazendo usina de triagem, estação de transbordo e ganhei a promessa que o lixão será remediado. Como ireir na inauguração da nova usina, comentei que ireir verificar o lixão na mesma data. Na verdade o abandono dele gerou muita vida nele, apenas alguns humanos estão ganhando a vida pegando lixo do transbordo atual. Uma pena, péssimas condições de trabalho.
Depois fui ver uma área interessante para um belo projeto de consórcio ambiental. Uma grande usina de triagem para atender 11 municípios, possibilidade de compostagem (uma bela redução de volume) e um pequeno aterro. O projeto reduziria consideravelmente o volume e transporte de residuos para aterros, geraria empregos e usaria uma área degradada (antiga mineração de basalto).
Belo projeto que tomara que seja instalado.
Um dia bonito de sol, um calorão em pleno inverno, pena a estrada estar tão degradada.

Tuesday, July 08, 2008

Acampar

Em setembro teremos "férias" da chefe da casa. A idéia é ir acampar pelas bandas de São Sepé, onde trabalhei por alguns anos.
Comecei meio ano antes de me formar e fiquei ali até ir para Barcelona em 92.
Vou visitar as minas de ouro onde trabalhei, irei mostrar ao Gabriel algumas galerias do século XIX.
A mãe estará pela Espanha, em mais uma missão de trabalho.
Gabriel acampou muitas vezes, quando bem pequeno. Paramos nos últimos dois anos e senti a parada.
Ele já anda preguiçoso, tanto que teremos uma sessão acampamento doméstico neste final de semana. Quando monto uma barraca dentro de casa, no quarto dele e dormimos por ali. Um aquecimento para setembro.

Sunday, July 06, 2008

Vício

Já escrevi que sou viciado em comida de igreja.
Especialmente as da Comunidade de Camobi, bairro onde fica a UFSM.
O mestre Cuca é padrinho da patroa, organiza com mão germânica equipe de pessoas que facilmente cozinham para 1000 pessoas. O cardápio de hoje> comida típica italiana. Afinal era o fim da semana cultural italiana.
A família toda participa, sempre temos o azar de ficar na última mesa a se dirigir ao buffet.
Hoje alem dos sorteios tinha uma rifa, comprei 5 números, 5 pilas.
Depois do almoço um show de danças típica, tarantelas,... e sorteio. Como compramos os ingressos do cozinheiro, ganhamos o 001 até 010. Devolvemos o 009, uma namorada de afilhado não veio.
Que azar, os primeiros números nunca saem. Ganhamos 5 premios, sorteados por diversas pessoas. O sorteio era feito pelo pessoal da dança.
A vizinhança já nos olhava feio, quando iniciou o sorteio da rifa, Eletrodomésticos. O primeiro prêmio um aquecedor a óleo.
Comentei com a minha esposa:
- Copramos um aquecedor destes faz um mês, semana passada fomos a Rivera buscar um liquidificador e esquecemos. A gente bem que podia ganhar este segundo prêmio.
Feito, ganhamos o segundo prêmio.
Gabriel se divertiu buscando tanto prêmio. Coisas simples. Destaque a uma faquinha marca Cascavel.
Aqui em Arroio Grande, distrito de Santa Maria, há um pólo de fábricas de facas. A maior é a Coqueiro, as demais são caseiras, de ex-funcionários.
Tarante(u)la, cascavel, olhei pra esposa e disse, só dá tu.
Quase apanhei.

Friday, July 04, 2008

Auto-atendimento

A situação foi interessante, única conforme colegas da FEPAM.
Um atendimento a emergência ambiental dentro de "casa".
Explico. Na noite de terça foi detectado (explosimetro) um risco de 70 (numa escala até 100) de explosão dentro da rede de esgoto pluvial em frente a casa de minha mãe. Casa onde morei por 6 meses (out-07 e mar-08).
Um possível vazamento de uma das bombas ou uma pluma antiga provocou forte odor de gasolina nos bueiros.
Vizinhos vinham reclamando aos bombeiros que não repassaram as denúncias para nós (FEPAM).
Quando uma reclamação rebateu na FEPAM, colegas acionaram EPAEs (Equipe de Pronto Antendimento a Emergências) da bandeira do posto ao lado de "minha" casa.
Esta equipe detectou os riscos. A avenida foi fechada e a rede foi aerada (na verdade foi instalado um exaustor).
Barreiras foram instaladas para reter líquidos. Água foi jogada na rede para "lavar" e ser tratada.
Investigou-se todos tanques do posto (teste de estanqueidade), todas bombas e tubulações foram revisadas.
Achou-se um minúsculo vazamento que poderia ser a fonte (meses de gotejamento).
Na tarde de quarta já eram 5 equipes envolvidas. Uma barreira foi aberta e instalada. Equipamentos de aspersão de líquidos e vapores foi montada na barreira para tratar contaminantes.
A vizinhança foi se tranquilizando (amigos e parentes). A imprensa aparecia, perguntava, escrevia suas versões. A imprensa escrita foi mais fiel aos valores e informações.
Um detalhe é que o posto pertence a um primo meu, o Júlio que faz aniversário um dia antes de mim.
Acompanhei quase todo entrevero. Na verdade só fui atender tal ocorrência por ser onde foi. Colegas atenderiam tranquilamente. Estava em Santa Maria, pesteado. Na manhã de quarta, quando minha mãe me "acionou", estava muito mal. No dia anterior ganhei medicação (antibióticos) e a indicaçãod e ficar de molho por uns dias. Fui, me abriguei bastante, tomei medicamentos corretamente e estou bem melhor.
Não podia perder uma "festa" dentro da minha casa.
Agora iremos acompanhar o desenrolar do monitoramento, que medidas tomar (remediação, remoção de passivo, multa,...).
O importante é que a região está sob controle. Com EPAE vigiando bueiros, aerando se necessário, tratando os vapores.
Segunda tem mais.

Tuesday, July 01, 2008

Qual?

Hoje fui felicitar um amigo blogueiro pelo aniversário.
Desejei felicidades e parabéns pelo chat do gmail.
Na terceira frase perguntei se seu site estaria com problemas.
 
Sua primeira resposta:
> qual?
em seguida
> obrigado
 
Pois é a prioridade é o site. Aniversário, para blogueiro, é mais uma postagem.
 
 
Não sei se ele irá ler, mas fica o registro.

Monday, June 30, 2008

Rivera

Sábado, como a cada chegada do inverno, fomos para Rivera, no Uruguai.
Chega o frio a a família enfrenta três horas de viagem para consumir.
Na bagagem sempre voltam vinhos, queijos, quinquilharias, roupas e nem sei mais o que.
A viagem é boa, a paisagem é pampa e pampa. Já se nota a presença da silvicultura descaracterizando certos locais.
Destaque a culinária local, onde os filés tem um tamanho decente.
Nada de consumo de alcool, nem uma Norteña.
 
O almoço: pedimos uma "milanesa" e um quijo "parrilero". Caso fosse necessário se pediria outro filé.
Chega o queijo e os pais apreciam o quitute. Chega a travessa, enorme, com o filé e acompanhamento e o filho, coloca seu prato para o lado e puxa a travesa para si. Olha os pais e pergunta:
- O que vocês irão comer?
Deixamos ele comer e nos deliciamos com as "sobras".
Acho legal os garçons uruguaios. Eles te recomendam a porção exata. Não te deixam pedir em excesso e se sentirem que a fome é grande te trazem reforços.

Pesteado

Tô pesteado. Acabado.
 

Friday, June 27, 2008

Cansou de Eneko? Tomaaaa!

Só dá Eneko..

Mais Eneko

Propaganda verde! Empresas verdes!

Mais Eneko.... consumo!

Eneko

Faz horas que coloco por aqui alguns trabalhos de Eneko.
Este artista venezuelano que acompanho faz muito tempo.
Até pouco tempo atrás ia '"garimpando" suas pepitas do site http://www.20minutos.es/ (do jornal "callejero" 20minutos, distribuido nas ruas e metrôs de cidades espanholas). Agora eles estão mantendo um arquivo do que Eneko tem publicado no site.
Eis aqui o link, recomendo:
http://blogs.20minutos.es/eneko
Seguirei postando o que eu já garimpei.

Thursday, June 26, 2008

Wednesday, June 25, 2008

Acuado

Interessante ver uma pessoa acuada.
Interessante ver esta pessoa escolher  única que nada tinha contra ela para se defender dos ataques.
Escolher a única pessoa que teve consideração para com ela, mas que se arrependeu muito.
Interessante esta pessoa dizer ter levantado uma "ficha", mas que não sabe a opinião dos amigos sobre ela.
Interessante que em certo reino, há nobres, cavaleiros, princesas e que o acuado seja conhecido como o bobo-da-corte, pelas atitudes e pelo tamanho.
 
 

Sunday, June 22, 2008

Depois da tempestade...

Depois do vinho, da siesta, viria a ressaca, mas a gripe tá tão medonha, tem tanto chá e paracetamol neste corpo que nada de ressaqueira.
Acho que preferia uma ressaca a este resfriado.
Acabamos de levar Gabriel ao pediatra, desde sexta andava malito. Tá tudo bem, diagnóstico de sempre, a tal de virose, muito líquido e cama. Agora ele anda me lendo, desde meu quarto, sobre animais. Hoje minha aula foi sobre leões, tubarões, peixe-trombeta, urso, peixe-serra,... e dá-le leitura, tudo com a voz anasalada.